No Plimec
Polícia Civil prende homem e apreende menor no Plimec por tráfico de drogas
A namorada dele, de 17 anos, suspeita de auxiliá-lo no crime, foi apreendida.
25/03/2019 10h54
Por: A Estância
354

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e Grupo de Operações Especiais (GOE) prendeu em flagrante na tarde de sexta-feira, dia 22, na Vila Egidio Martins da Costa (Plimec), em Avaré, o operador de máquinas R.G. , de 27 anos, por tráfico de drogas. A namorada dele, de 17 anos, suspeita de auxiliá-lo no crime, foi apreendida.

Uma equipe das unidades especiais deslocou-se até o bairro para localizar R. G., identificado como integrante do grupo alvo da Operação Lacar, deflagrada pela Polícia Civil no final do mês passado em Cerqueira César, após intensas investigações. O objetivo inicial da incursão era apreender o celular utilizado por ele, por haver fortes indícios de sua parceria com o homem considerado pela Polícia Civil como chefe da quadrilha, preso em fevereiro.

Segundo o boletim de ocorrência, quando da chegada ao endereço de residência do suspeito, os policiais foram recebidos pela mãe dele. O filho não estava, mas ela autorizou a entrada dos policiais, que nada de ilícito encontraram no imóvel principal. Porém, na edícula ocupada por R. G. e a sua companheira, foi localizado o celular pretendido. Localizaram também, no interior de uma geladeira, dentro de um saco plástico, uma grande porção de cocaína embrulhada em fita adesiva de cor marrom, com peso aproximado de 62 gramas. 

Após encontrar a droga, os policiais elaboraram uma estratégia para deter R. G. e a namorada. Encontrada primeiro, a menor disse que o entorpecente era dela e que seria para seu consumo. Porém, ao tomar conhecimento da apreensão da namorada, R. G. preferiu se entregar. Na Delegacia, ele declarou que a cocaína lhe pertencia, porém também alegou que era para seu uso pessoal, apesar da grande quantidade encontrada.

Depois de examinar as versões dos policiais e dos envolvidos, bem como os demais elementos probatórios, entre os quais o fato do investigado já ter condenação pelo mesmo crime, foi ratificada a prisão em flagrante dele por tráfico, associação para o tráfico de drogas e corrupção de menor. Face à gravidade das condutas, a periculosidade do autor e à reincidência em delito específico, o delegado plantonista, Dr. Marco Aurélio Gonçalves Gomes, ainda representou pela conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva. 

O delegado também entendeu que a ação da menor correspondeu ao ato infracional equivalente aos crimes de tráfico e associação para o tráfico, ratificando sua apreensão e elaborando o auto conforme previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente.

O preso será submetido à audiência de custódia na segunda-feira, e caso permaneça preso será transferido para uma das unidades prisionais da região. Já a menor passará por audiência com o juiz e promotor da Vara da Infância e Juventude, de onde poderá sair com o pedido de internação em uma das unidades da Fundação CASA.

OPERAÇÃO LACAR – A prisão de sexta-feira foi fruto da Operação Lacar, cujas investigações já estavam a cargo da DIG/GOE há pelo menos 4 meses. Ela foi deflagrada no último dia 26 de fevereiro, em Cerqueira César, resultando na prisão de 9 elementos acusados de se associar para o tráfico de drogas.  A ação permitiu a apreensão de 300 gramas de maconha, além de material que remete à atividade ilícita, tais como balanças de precisão, rolos de papel filme, entre outros. Dezenas de celulares utilizados pelos envolvidos também foram apreendidos.

A Polícia Civil, através do monitoramento dos alvos, conseguiu descobrir que o esquema funcionava em Cerqueira César, mas tem ramificações em cidades da região, em especial Avaré, o que acabou se confirmando com a prisão de R.G.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários