OPERAÇÃO
Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão em Paranapanema
Ação faz parte do desdobramento da operação que investiga fraudes em fundos de pensão. Aplicação pode ultrapassar valor de R$ 1,3 bilhão. Na sede do Assisprev foram apreendidos computadores, celulares e documentos.
12/04/2018 14h27Atualizado há 1 ano
Por: A Estância
Fonte: G1
530
Agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão na sede do Assisprev (Foto: Guilherme Lopes / TV TEM )
Agentes da PF cumpriram mandados de busca e apreensão na sede do Assisprev (Foto: Guilherme Lopes / TV TEM )

Agentes da Polícia Federal cumprem nesta quinta-feira (12) mandados de busca em apreensão na sede do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Assis (Assisprev).

A ação faz parte do desdobramento da operação da PF que investiga irregularidades envolvendo a aplicação de recursos de institutos previdenciários em fundos de investimento.

A operação foi nomeada como Encilhamento e é a segunda fase da Operação Papel Fantasma. Policiais Federais e auditores-fiscais da Receita Federal cumprem 60 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão temporária expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina e Goiás.

São investigados 13 fundos de investimento em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina e Goiás. A operação apura fraudes envolvendo a aplicação de recursos de Institutos de Previdência Municipais em fundos de investimento com debêntures sem lastro emitidas por empresas de fachada que podem ultrapassar o valor de R$ 1,3 bilhão. A debênture é um título de dívida que gera um direito de crédito ao investidor.

No 2º semestre de 2016 foi constatada a existência de R$ 827 milhões em apenas oito destes fundos, dinheiro para o pagamento das aposentadorias dos servidores municipais. Os investigados responderão por crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, fraude à licitação, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro com penas de 2 a 12 anos de prisão.

Em São Paulo, os mandados são cumpridos em Assis, Hortolândia, Jundiaí, Piracicaba, Paulínia e Paranapanema.

Em Assis, foram apreendidos computadores, celulares e grande quantidade de documentos na sede do Assisprev. Dirigentes do instituto de previdência também foram ouvidos, mas ninguém foi preso até o momento.

Em Paranapanema, a ação é no Instituto de Previdência Social dos Funcionários Públicos da Estância Turística de Paranapanema ( Ipespem).

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários