Sábado, 16 de dezembro de 201716/12/2017
14-9 97904590
Eduvale
POLÍCIA
Consultor Jurídico da Prefeitura de Avaré é preso em Piraju
Policiais do Gaeco estiveram no Paço Municipal de Avaré em busca de documentos e também de computadores utilizados por Aith.
A Estância Avaré - SP
Postada em 05/12/2017 ás 13h16 - atualizada em 07/12/2017 ás 17h42
Consultor Jurídico da Prefeitura de Avaré é preso em Piraju

O advogado Marcelo Aith, que atua como Consultor Jurídico da Prefeitura de Avaré, foi preso às 6 horas da manhã, em Piraju, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Bauru.



Policiais do Gaeco estiveram no Paço Municipal de Avaré em busca de documentos e também de computadores utilizados por Aith.
Informações extraoficiais dão conta que ele estaria sendo ouvido no Fórum de Piraju pelo Promotor do Gaeco, Luiz Cláudio. Outros dois agentes do Grupo de Atuação contra o crime organizado também estariam participando da oitiva.A presidente da ordem dos Advogados do Brasil, subseção Piraju, Jana Lúcia Damato, estaria acompanhando o advogado Marcelo Aith no local.
Informações dão conta ainda que assim que o advogado terminar de ser ouvido, ele deveria ser apresentado à Delegacia de Piraju. Há a possibilidade dele receber voz de prisão. 
Ainda não há detalhes sobre o processo, pois o trabalho investigativo ainda está em andamento. Ainda segundo informações, o caso extrapola as fronteiras de Piraju, onde mais cidades da região devem receber a visita do Gaeco nas próximas horas.


Através da Portaria 9.251, emitida pelo prefeito na manhã de hoje, o advogado Marcelo Gurjão Silveira Aith foi exonerado da função de Consultor Juridico que ocupava na Prefeitura. 
Em nota, a Secretaria de Comunicação confirma que, na manhã de hoje, 5, um promotor de justiça integrante do Gaecco (órgão especial do Ministério Público do Estado de São Paulo), esteve no Paço Municipal cumprindo uma ordem judicial para analisar a sala de trabalho do então Consultor Jurídico Marcelo Aith.
Ainda segundo a nota, o promotor deixou o local sem ter efetuado qualquer tipo de apreensão. 
A Prefeitura declara ainda que, segundo informações obtidas junto ao próprio Ministério Público, a checagem da sala se deu no âmbito de uma investigação criminal que está ocorrendo na Comarca de Rio Claro (SP) e não possui qualquer relação com a atividade pública desenvolvida pelo advogado na Prefeitura de Avaré. A Prefeitura também nega que atos da atual gestão estão sob investigação do órgão.
A vistoria foi acompanhada por um representante da Procuradoria Municipal e por assessores jurídicos da Prefeitura.
Segundo o Ministério Público, a operação cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão de documentos e, ainda, de condução coercitiva em outras cidades do Estado como Piraju, Rio Claro e Piracicaba.


FONTE: A Comarca
tags:
• Avaré
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
2.321
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium