Terça, 18 de setembro de 2018
19 99746-0072
Economia

20/06/2017 ás 15h10

3.481

A Estância

Avaré / SP

Grupo Pacaembu e startup desenvolvem tecnologia para reduzir conta de luz
Projeto piloto em empreendimentos do Minha Casa Minha Vida em São José do Rio Preto e Avaré utiliza energia solar, iluminação LED e monitoramento inteligente de consumo
Grupo Pacaembu e startup desenvolvem tecnologia para reduzir conta de luz

A parceria do Grupo Pacaembu, especializado na construção de casas do programa Minha Casa Minha Vida, com a Ambar, que desenvolve tecnologias para habitação, e com a Ebes, pioneira em projetos de geração distribuída fotovoltaica no Brasil, deu origem à startup Sol+lar, que visa reduzir  custos de habitação para o morador. A primeira iniciativa esta diretamente ligada à redução na conta de luz, uma das principais despesas no orçamento das famílias.


O primeiro projeto é voltado ao programa Minha Casa Minha Vida, e está sendo testado há mais de um ano em 40 casas dos bairros planejados construídos pela Pacaembu, Luz da Esperança (São José do Rio Preto) e São Rogério (Avaré), com a microgeração de energia utilizando placas fotovoltaicas.


Este projeto foi acompanhado pela EY (Ernst & Young) e pelo IEE/USP (Instituto de Energia e Ambiente/Universidade de São Paulo), cujos estudos comprovam que é possível reduzir os custos anuais com energia em até R$ 840,00 por meio da geração própria.  A segunda fase, que se inicia neste mês, complementa o pacote tecnológico com a substituição das lâmpadas comuns por LED e utilização de inteligência de monitoramento de consumo de energia, o que deve melhorar ainda mais o resultado de economia para os moradores.


A proposta vem ao encontro de uma necessidade. De acordo com o relatório New Energy Outlook 2016, produzido pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF), dentro de 25 anos as fontes eólica e solar devem superar as hidrelétricas no Brasil. Com a crise no setor energético nos últimos anos e um sistema elétrico que dá sinais de exaustão, a microgeração residencial de energia solar fotovoltaica deve se tornar uma opção mais atrativa.


 “A geração de energia solar com placas fotovoltaicas, além de ser sustentável, já é uma tendência e está em ascensão. Até 2040, a geração de energia solar e eólica responderá por 43% do total produzido no Brasil. Para trazermos esta solução aos bairros construídos pela empresa, buscamos parceiros e investimos na Sollar, a startup que vai ajudar a realizar o projeto em larga escala”, comenta Victor Almeida, Diretor Financeiro do Grupo Pacaembu.


A Sol+lar desempenha um papel essencial, já que, na análise dos parceiros, os programas de habitação proporcionam condições adequadas para uma mudança no conceito de vida e moradia. Para Victor Almeida, os principais beneficiados serão os moradores. “A aplicação de tecnologias combinadas de eficiência energética resultam em um custo mensal de habitação menor, isto é, diminui a despesa com as contas e ajuda no orçamento da família”, afirma.


 


Como funciona


A Sol+lar foi criada para desenvolver tecnologias e soluções de eficiência energética, incluindo a microgeração solar para projetos de moradia. A casa recebe o kit de iluminação com eficiência energética LED, as placas fotovoltaicas e um medidor inteligente, instalado no quadro elétrico. Por meio de uma conexão Wi-Fi, os dados de consumo são enviados para processamento na nuvem.


O que a Sol+lar proporciona é uma economia ainda maior na conta de energia do morador do que apenas o sistema de geração de energia solar tradicional. Por ser um combo desenvolvido pela parceria, o investimento inicial é reduzido em cerca de -17% e aumenta a economia mensal em até 35% a partir da combinação das tecnologias.


“Utilizando o melhor de cada tecnologia disponível no mundo, a Sol+Lar desenvolveu um combo utilizando energia solar, iluminação LED e monitoramento inteligente de consumo exclusivamente focado para habitações de baixa e média renda que tem como objetivo mudar e melhorar os hábitos de consumo das famílias”, destaca Adilson Libsch, diretor geral da Sol+lar.


No projeto piloto, as famílias que têm a energia fotovoltaica distribuída em suas casas são voluntárias e recebem o sistema em contrato de comodato. Após o período de análise, os moradores ajudam a avaliar o impacto e a utilização da energia solar na residência.


O objetivo é, a partir da validação (redução de custos de moradia), oferecer o sistema aos clientes de empreendimentos habitacionais de interesse social como solução padrão para gerar economia aos clientes.


 


Sobre a Ambar


Plataforma de tecnologia e produtos inovadores para Construção Civil.  Empresa Endeavor desde 2012, com fábrica e centro de desenvolvimento tecnológico no interior de São Paulo já desenvolveu produtos e soluções para mais de 55.000 unidades habitacionais.


 


Sobre a Ebes (Empresa Brasileira de Energia Solar)


Pioneira no desenvolvimento de projetos de geração distribuída fotovoltaica no Brasil, com 3 MW instalados. Projeto liderado pelos Fundos TPG e MOV Investimentos.


 


Sobre o Grupo Pacaembu


O Grupo Pacaembu atua há mais de 20 anos na construção de empreendimentos residenciais de interesse social, contemplados no Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal.  O portfólio de obras abrange mais de 45.000 unidades habitacionais comercializadas em todo o Estado de São Paulo.


 

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium